"

«Neste momento, as pessoas estão mais ligadas à SIC do que à TVI», Manuel Luís Goucha

manuel luís goucha

Manuel Luís Goucha

Manuel Luís Goucha está numa fase serena da carreira. O veterano não se deixa intimidar pela mudança de paradigma nas audiências.

A SIC é líder de audiências desde fevereiro e dificilmente o deixará de ser nas contas finais de 2019. A liderança de Paço de Arcos começou a ser construída em outubro de 2018 com “Casados à Primeira Vista”, “Gabriela” e “Júlia”, nas tardes.

Já em janeiro de 2019 alastrou para as manhãs com a estreia de “O Programa da Cristina” e, com formatos como “Golpe de Sorte” ou “Quem Quer Namorar Com o Agricultor?” alastrou para todos os horários.

Ciente do que terá de enfrentar nos próximos meses, Manuel Luís Goucha sabe que a tarefa da TVI não é fácil. «Neste momento, as pessoas estão mais ligadas à SIC do que à TVI. Compete à TVI conquistar, com inteligência, as pessoas», referiu em entrevista à revista Maria.

O apresentador também não se furtou a comentar a antecipação da data de estreia de “Masterchef”. O programa estreou logo no primeiro dia de setembro, antes da chamada rentrée televisiva.

«Não sei porquê. Mas acho que o “Masterchef” ser colocado agora em antena é uma ideia inteligente da Felipa Garnel [nova Diretora de Programas da TVI], para se avançar com um produto antes das estreias da concorrência e que se adivinha ganhador (…) O “Masterchef” é um grande produto de televisão, mas será que vai ganhar? Acho inteligente antecipar-se a estreia. É um produto muito bem produzido em televisão e que pode fidelizar o público».

Recorde-se que nas duas primeiras edições já emitidas (aqui e aqui) o programa perdeu para a concorrência nas noites de domingo.

Estar longe da liderança não é um drama para Goucha. «Encaro isso com naturalidade. Em televisão passa-se de bestial a besta muito depressa. Já ganhei, já perdi…  Não me deixo melindrar com esse tipo de coisas, ora se perde ora de ganha. O que seria se alguém perdesse sempre?», referiu.

«É muito tranquilo, não deixo de fazer televisão com o mesmo empenho e felicidade, com a mesma alegria de sempre. O problema é sempre a solução, temos é de tentar equilibrar. Durante 14 anos ganhámos. Durante oito anos a Júlia (Pinheiro) não ganhou uma única manhã… alguém a viu sem garra? E lá estava ela, haveria dias com o programa melhor do que o nosso. É natural em televisão. Temos é de ir luta e tentar reverter com criatividade. Estou muito esperançado com 2020. Não digo que seja a reviravolta, mas há programas muito interessantes» disse ainda o apresentador de “Você na TV!”.

Três meses é o prazo mínimo, na opinião de Manuel Luís Goucha, para a nova direção de programas poder mostrar serviço. «Não se pode esperar que uma direção entre e que mude o canal em 15 dias, leva três meses no mínimo. Acredito muito na Felipa. Atenção, agradeço muito a anterior direção. O Bruno Santos confiou em mim…», referiu.

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close