"

“Amor Maior”: Com final à porta, Vicente é assassinado por Augusto

Amor Maior

Rogério Samora é Vicente em “Amor Maior”

A caminho do final, “Amor Maior” vai contar com muito drama. Vicente (Rogério Samora) é morto por Augusto (Sílvio Nascimento).

Em breve, ao ver Laura (Ana Padrão) a ser atacada pelo vilão, o empresário sai em defesa da irmã e acaba por ser baleado fatalmente.

Os próximos episódios de “Amor Maior” prometem ação. Depois de ficar espantado e orgulhoso por ver a irmã na fábrica, Vicente ouve a mãe de Clara (Sara Matos) dizer que o que mais quer é recuperar as filhas.

Laura observa tudo na fábrica. De repente, Augusto aparece-lhe à frente e ela grita por Vicente, enquanto se debate para libertar-se. O irmão atira-se ao raptor e envolvem-se à pancada.

A saída da fábrica, Manel (José Fidalgo) vai dar boleia a Helena (Sofia Sá da Bandeira) de mota quando Laura sai em pânico. Pede ajuda, afirmando que Augusto apareceu e vai matar o seu irmão. O vilão aponta uma arma a Vicente. Este avança para ele no momento em que Manei chega. Augusto dispara e o empresário morre.

No exterior, Laura chora, em pânico, depois de terem ouvido um tiro. A mãe de Afonso afirma que Augusto vai matar toda a gente e vai levá-la. Helena está preocupada com Manel.

O inspetor manda Augusto largar a arma. De seguida, algema-o e percebe que Vicente está morto. Chama reforços e prende Augusto pelo homicídio de Vicente.

A Polícia chega ao local e Laura pergunta por Vicente. Manel dá-lhe a notícia de que o irmão morreu, deixando-a em choque. Pouco depois, Pilar (Maria João Luís) chega ao local, incrédula. Não perdoa o colega por não a ter chamado ao local do crime e exige ver Augusto.

Enraivecida, a inspetora encara-o e este alega ter matado Vicente em legítima defesa e que Laura é a sua mulher. Pilar esbofeteia-o e diz que vai dar cabo dele.

O funeral de Vicente também promete cenas movimentadas tudo porque Francisca decide ir ao enterro do meio-irmão.

Ao ver a vilã no cemitério, Clara fica furiosa e não a quer ali. A tia alega ter o direito de ir ao funeral, mas Clara não a deixa e empurra-a para dentro de uma cova aberta.