Pedro Lopes: «Quando escrevo uma telenovela quero chegar ao maior número possível de pessoas»


O autor dos maiores sucessos da SIC submete-se hoje ao Raio Z. Numa conversa descontraída fala-nos do seu papel enquanto Diretor de Conteúdos da SP Televisão, do elenco de ‘Sol de Inverno’ e do fato de ter “saltado” diretamente de uma novela para a outra.

Hoje damos a conhecer o “homem de ferro” da SP Televisão, que já venceu um Emmy Internacional, e o autor da novela mais vista da televisão portuguesa.

Zapping: “Sol de Inverno” é mais um sucesso de audiências. Os números são importantes?
Pedro Lopes:
 Obviamente que os números são importantes. Quando escrevo uma telenovela quero chegar ao maior número possível de pessoas.

Z: “Sol de Inverno” veio logo de seguida a “Dancin’ Days”, não temeu que a originalidade lhe falhasse?
PL:
 Não, não senti que estivesse a repetir fórmulas, muito pelo contrário. Esta é uma história com protagonistas de 50 anos, o que nunca tinha feito.

Z: O elenco conta com estrelas como Maria João Luís, Rogério Samora, Rita Blanco, João Perry, Margarida Vila-Nova, entre outros. É o melhor elenco com quem já trabalhou?
PL:
 Provavelmente sim, mas tive sempre a sorte de ter grande atores em todas as telenovelas.

Z: “Laços de Sangue” venceu um Emmy Internacional. Enquanto autor qual é a importância desta estatueta?
PL:
 Quando estamos num evento como os Emmys percebemos melhor a importância daquilo que fazemos e percebemos, também, como os nossos produtos têm muita qualidade. Hoje em dia estamos claramente na primeira divisão.

Z: Acha que “Sol de Inverno” pode ser a próxima trama portuguesa a vencer o prémio?
PL:
 Não me preocupo muito com isso. O que quero é conquistar diariamente os espectadores. Se for nomeada para algum prémio fico muito satisfeito, mas o importante é que resulte no nosso mercado.

Z: Atualmente é coordenador de autores da SP Televisão. Qual é exatamente a sua função?
PL:
 Quando me convidaram para director de conteúdos da SP Televisão tinha como principais objectivos criar uma carteira de projetos de ficção, entre séries e telenovelas, e identificar no mercado os argumentistas que poderiam ser nossos colaboradores. Atualmente a componente de formação de novos argumentistas também está a ser uma aposta.

Z: Adaptar uma trama é mais fácil do que criar uma história de raiz?
PL:
 São processos diferentes, mas não é possível dizer o que é mais difícil.

Z: Que mais-valias trouxe a Rede Globo às novelas da SIC?
PL:
 O respeito pelos ganchos no final do capítulo foi uma mudança importante.

Z: O que faz falta às novelas portuguesas?
PL: 
O que faz falta é conseguirmos exportar os nossos produtos.

Z: Qual o tema que espera conseguir tratar numa próxima novela sua?
PL:
 É segredo.

Z: Depois de “Sol de Inverno” que projeto se segue?
PL:
 Quando terminar a novela farei uma pausa na escrita.

Perguntas Rápidas:
Maior Vício… música
Livro/Filme/Música/Série Favoritos… O Aleph, Jorge Luis Borges/ The Misfits, John Huston/ Tender Pray, Nick Cave and the Bad Seeds/ Columbo
Na TV não dispenso… O noticiário ao acordar
A pessoa que mais admiro é… Jesus Cristo
Não vivo sem… família
Não saio de casa sem… computador
Um dia corre bem quando… tenho tempo para uma boa conversa.

Z: Pergunta Final: A sua vida dava uma novela porquê?
PL:
 Não dava. Não seria assim tão interessante para os espectadores.

Pode comentar a entrevista no Fórum Zapping ou no Facebook!

Entrevista: Ricardo Neto
Revisão: Margarida Costa

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close