Provedor RTP considera «episódio grave» a transmissão de “Adoro-te… à Distância” à tarde

A comédia “Adoro-te… à Distância” causou polémica devido à linguagem forte e cenas de sexo

O Provedor do Telespectador da RTP, José Carlos Abrantes, classifica a emissão de “Adoro-te… à Distância” (“Going the Distance”, no original) como um «episódio grave», que afeta a imagem do serviço público e demonstra falta de supervisão sobre os conteúdos que vão para o ar. O filme teve direito a passar num domingo à tarde, na RTP1, apesar de conter linguagem obscena e cenas de sexo.

No parecer de José Carlos Abrantes, fica clara a repreensão à Direção de Programas da RTP. Para o provedor, a emissão de um filme que utiliza «linguagem desbragada» e cenas pouco adequadas a crianças e jovens «descredibiliza o esforço do serviço público em passar uma imagem de seriedade». E mais: «Mostra que o filme não foi visto previamente por alguém com responsabilidades», cita o jornal Sol.

Abrantes defende que a comédia, emitida a 28 de outubro, devia ter sido interrompida. «Como é possível que ninguém tenha, no decurso da emissão, tomado a decisão adequada, tirando o filme de antena?», questiona-se no parecer a que o Sol teve acesso, sublinhando estar em causa a «supervisão e o controlo da emissão».

A resposta do director de Programas, Hugo Andrade, chegou quase 15 dias depois de José Carlos Abrantes ter pedido esclarecimentos. O atraso é justificado por Andrade com «imperativos de natureza profissional», que «têm dificultado a observância de algumas atribuições inerentes à Direção de Programas».

O diretor, que acumula a programação da RTP1, da RTP2 e da RTP Memória, assume o erro, apesar de recordar que a película foi classificada pela Direção-Geral de Espetáculos para maiores de 12 anos (12AP).

Esta situação fez com que o diretor criasse novas regras de controlo. A partir de agora, todos os programas estrangeiros serão alvo de um «relatório de avaliação do conteúdo para apreciação da Direção de Programas». Foram também dadas instruções aos tradutores para que façam uma «tradução flexível e condescendente para evitar o registo ordinário, ofensivo ou injurioso» nas obras estrangeiras emitidas na RTP antes das 22H.

“Adoro-te… à Distância”, transmitido a 29 de outubro, teve uma audiência média de 3.1 e um share de 8.0%. Cerca de 290.600 espectadores assistiram, segundo números CAEM/Gfk, à polémica longa-metragem.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close