“Onde Está Elisa?”: Resumo dos próximos episódios

"

Episódio 48 (19 a 25 de novembro)

Carlos desabafa os seus sentimentos e a escolha que tem de fazer entre Francisca e a investigação com a psicóloga Anabela, cujas palavras sobre sentimentos o deixam pensativo.

Francisca vai ao café e conversa com Ana, que lhe diz que a morte de Manuel a fez parar para pensar e que Francisca tem razão quando diz que, se calhar, há mesmo coisas que não são para publicar.

Carlos aproxima-se de Afonso, Júlio e Vila, querendo saber o que se está a passar e Júlio diz que o Procurador quer falar com todos, estando naquele momento com Raquel.

Raquel é interrogada pelo Procurador, a quem diz que sempre respeitaram todos os procedimentos e fica tensa quando o Procurador lhe pergunta sobre a sua relação com Carlos, ao que ela responde que deviam era estar todos à procura de Elisa, mas o Procurador manda-a sentar-se, dizendo que ainda não acabaram.

Francisca diz a Ana que havia sempre uma reação relativa a Elisa a seguir às publicações dela, como aconteceu quando publicou a sua entrevista e a de Carlos. Ana pergunta-lhe se não houve reação em relação ao que foi publicado sobre Rui e Francisca diz que não, afirmando já não saber o que pensar.

Alexandra trabalha e Inácio vai olhando para ela de soslaio, sem que Alexandra dê conta. Zé Pedro entra disparado, perguntando por Bruno e seguindo para o gabinete deste, sem que Joana faça o que quer que seja para o impedir.

Zé Pedro entra de rompante no gabinete de Bruno, que o manda embora e Zé Pedro provoca-o ao dizer que podem ir para a cama com Constança mas não podem falar dela, levando um murro de Bruno como resposta.

Alexandra, Inácio e Joana ouvem os insultos e a troca de murros entre Bruno e Zé Pedro, com Inácio a precipitar-se para o gabinete do cunhado. Inácio consegue separar Bruno e Zé Pedro.

Bruno pede que tirem o outro dali e, quando Joana e Alexandra aparecem, diz-lhes que nunca mais quer Zé Pedro ali no atelier.  O Procurador diz a Carlos que todos elogiaram o trabalho dele e Carlos afirma que trabalham em equipa há muitos anos, começando a mostrar ao Procurador todas as pastas com todas as provas recolhidas no caso de Elisa.

Alexandra sai para ir ver uma obra, deixando Inácio e Joana sozinhos, que começam a falar de traições, com Joana a dizer que não percebe por que é que as pessoas traem outras, mas dizendo que não é o melhor exemplo para ninguém, já que teve um caso com Rui, ainda que sempre lhe fosse fiel.

Sebastião aproveita que o café está vazio para perguntar a Ana o que ela acha sobre as suspeitas que recaem sobre Rui, mas Ana diz que sabe o mesmo que a polícia e toda a gente sabe, dizendo que se tinha transformado numa pessoa que não queria. Sebastião convida Ana para sair um dia destes, mas ela manda-o trabalhar.

Constança reafirma a Bruno que não pode despedir Zé Pedro, mas ele diz que assim não dá e acrescenta que Rui não hesitaria em abandoná-la se ela precisasse. Constança fica magoada e ofendida quando lhe pergunta se vai ver os miúdos e ele lhe diz que tem planos.

À noite, Raquel vai ao encontro de Rui na Fundação, que lhe agradece por ter ido ter com ele.

Elena está dentro do carro com Carlos à porta duma boate, mostrando-lhe quem são Zé Lenka e Fúrio, que acabam de entrar para a mesma. Carlos vai dar-lhe dinheiro para o táxi, mas Elena despede-se dele com um beijo na boca e vai embora, deixando-o de dinheiro na mão.

Raquel diz a Rui que o Procurador foi muito minucioso nas perguntas e acrescenta que acha que é alguém perto dele que o está tentar a incriminar, mas Rui diz-lhe que a mulher tem sido manipulada e pergunta-lhe se Francisca se tem encontrado com Carlos. Francisca observa as fotografias de Elisa no computador da filha e sai, com ar decidido.

Zé Lenka e Fúrio saem da boate, enfiam-se num carro e arrancam, com Carlos a segui-los no seu carro.  Joana vai ao encontro de Constança na esplanada de um restaurante.  Carlos segue, a alguma distância, o carro de Fúrio e Zé Lenka.

Constança diz a Joana que a chamou porque ela é um fator de destabilização na família dela e oferece-lhe dinheiro para se despedir do atelier, mas Joana fica ofendida com a proposta, recusa e diz que não vai a lado nenhum.  Sebastião diz a Gonçalo que quer a sua independência e ter dinheiro para ir viver para um sítio e Gonçalo acha a ideia boa, indo perguntar a Ana se precisa de ajuda ali no café, mas ela diz que, para crianças, já chega o primo dele.

Carlos vê Zé Lenka e Fúrio a entrarem na discoteca de onde Elisa desapareceu.  Rui vai a casa de Olívia buscar as filhas e começa a discutir com Olívia e Inácio, perdendo a cabeça e assustando as filhas, que aparecem de dentro e o veem naquele estado. Carlos vê Júlio entrar na discoteca, quando recebe uma mensagem de Raquel a dizer que precisam de falar e ele acaba por responder à mensagem, marcando encontro em casa dele.  Francisca vai falar com Matilde sobre Elisa para tentar saber mais coisas sobre a ida dela a Colares, mas Matilde diz que Elisa sempre gostou de mistério à sua volta e garante não saber de nada.

Raquel diz a Carlos que Rui queria saber se ele andava a sair com Francisca, mas que o convenceu de que isso não era verdade, porque mentiu a Rui dizendo-lhe que eles os dois estavam juntos.

Zé Lenka e Fúrio entram na casa de strip e vão ter com Elena, pedindo-lhe que chame Yuri, mas ela diz que este despareceu e Zé Lenka leva Elena para uma mesa, que se deixa ir, a medo.  Francisca pressiona Matilde a fazer um esforço para se recordar de alguma coisa que Elisa lhe tenha dito sobre Colares e Matilde diz à tia que foi lá a casa nessa tarde ter com Elisa.

Elisa vê uma fotografia no computador com ar perturbado e Matilde pergunta-lhe se foi ele quem a tirou. Elisa confirma, mas desconversa quando a prima quer saber quem ele é.

Francisca chega a casa e encontra Rui adormecido com Carolina e Patrícia e pergunta ao marido por que é que foi buscar as filhas, mas Rui diz-lhe que o lugar delas é ali e Francisca diz-lhe que ele sabe por que é que ela fez aquilo e estão quase a discutir, quando Carolina acorda, fazendo com que Francisca acalme. Rui procura Zé Pedro, a quem diz que Francisca suspeita que ele raptou a filha e que precisa de provas de que a mulher se anda a encontrar com Carlos, querendo-a vigiada 24 horas por dia.

Elisa está sentada a comer a olhar com ódio para alguém à sua frente: é Bruno, que chora copiosamente. Elisa acalma o ódio e coloca a sua mão sobre a dele.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55