“Vidas Opostas”: Resumo dos próximos episódios

"

113º Episódio (6 a 12 de agosto)

Cecília está muito transtornada, pois apesar de não ter ficado presa, ficou com termo de identidade e residência, como principal suspeita da morte de Marco. Álvaro, por seu lado, só quer que o dossier que o incrimina como chefe da rede de doping apareça. Aurora sugere-lhe que ponha mais gente à procura, incluindo Eva mas ele avisa-a de que se não for ela a encontrar o dossier, não a deixará sair da rede.

Íris fica furiosa quando vê Soraia a limpar a casa. Cecília põe cobro à discussão e garante à filha que a empregada já não estará lá em casa quando ela regressar de Paris e deseja-lhe um bom desfile. Depois dá indicações a Soraia para que limpe o seu quarto de forma a não deixar qualquer vestígio da presença de Marco.

Cecília prepara-se para ir arrumar um saco na mala do seu carro e fica petrificada quando encontra uma almofada cheia de sangue, deduzindo que foi a que asfixiou Marco.

Soraia, que está a limpar o quarto, olha pela janela e fica em choque ao ver Cecília com a almofada ensanguentada na mão.

Cecília está completamente desorientada e olha em redor, tentando perceber se alguém a viu com a almofada na mão.

Soraia continua a ver Cecília e liga a Eva a contar-lhe o que se está a passar e perguntado o que há-de fazer.

Eva pede a Soraia para se controlar e para fazer exactamente o que ela disser.

Cecília recebe uma chamada de Soraia a dizer, para a empatar, que está presa no quarto e depois de guardar almofada no porta-bagagem tranca o carro e vai ajudar a empregada.

Cecília vai buscar outra chave e abre a porta do quarto. Soraia tenta empatá-la um pouco mais mas ela diz que tem assuntos urgentes para resolver e vai embora.

Quando se prepara para ir embora, Cecília é interceptada por um carro da PJ e Teresa pede-lhe que abra o porta-bagagem do carro, deixando-a em grande tensão. A inspectora descobre a almofada que matou Marco e manda que sejam feitos testes de ADN.

Em casa dos Candal, Teresa interroga Cecília e quer saber como é que a almofada foi parar ao seu carro. Cecília está desesperada e assegura que não matou Marco mas Teresa está muito desconfiada.

Ricardo descobre que foi acrescentado um nome à lista do casamento e a hospedeira que controlava as entradas recorda que por momentos teve de deixar o tablet para ir limpar a água que uma mulher lhe derramou em cima, dizendo que ela levava uns papéis para entregar a Álvaro. Este entra com cara de caso no gabinete e pede a Ricardo que o acompanhe porque a mãe precisa de um advogado. O filho fica apreensivo e Álvaro diz que lhe explica tudo pelo caminho.

Teresa insiste com Cecília para que a acompanha até às instalações da PJ. Ela defende-se e diz que se ausentou da festa para ir chamar Maria mas que quando chegou ao quarto não estava lá ninguém, apenas o vestido de noiva em cima da cama. Ricardo e Álvaro defendem Cecília mas ela não resiste à pressão da inspectora para a levar e desmaia.

Eva tenta incriminar Cecília da morte de Marco mas Jorge tem dúvidas. Soraia liga a Eva confirmando que Cecília saiu de casa levada pela polícia e ela fica contente.

David pede desculpa a Lucinha por ter sido bruto com ela e explica que anda enervado porque o pai se quer separar da mãe. Lucinha recebe uma mensagem no telemóvel mas não o deixa ver de quem é e diz que ele tem de aprender a confiar nela.

Lucas vai buscar David e pergunta por Salomé. Eva nota o interesse mútuo entre ele e a mãe. Salomé pergunta-lhe como está a investigação da morte de Marco e a filha conta que Cecília foi detida por ser suspeita de o ter matado.

Cecília está destroçada e apática com as suspeitas que recaem sobre si. As amostras de ADN confirmam que o sangue da almofada era de Marco e Cecília é constituída arguida e vai ser presente a um juiz, por suspeita da morte de Marco.

Ricardo leva Cecília para descansar no quarto e vê os documentos que Eva levou para Álvaro assinar no dia do seu casamento e começa a desconfiar das intenções dela.

Lucas entrega os papéis do divórcio para Aurora assinar mas ela rasga-os e pergunta-lhe o que mais tem de fazer para que ele volte a amá-la. Lucas reafirma que perdeu a confiança nela e deixa-a a chorar sozinha, reiterando a intenção de se divorciar.

Maria e Mónica conversam sobre a difícil situação financeira da Ludis. Maria confessa que não quer saber de Ricardo e que só deseja que descubram quem matou Marco. Anabela aparece para levar Tomás para casa.

Tomás vai comprar ribombinhas à pastelaria e recebe uma mensagem de Mónica a pedir-lhe para ir para casa. O rapaz pergunta a trovão pelos bolos de Débora e ele não gosta nada da pergunta.

Tomás entra em casa e tem a mãe à espera. Ela insiste em levá-lo consigo para Amarante mas o filho recusa-se a regressar com ela. Anabela retira-lhe a mesada e diz que está para ver como é que ele vai resistir sem aquela ajuda.

Joana conta a Fausto que a mãe foi falar com Tomás. Íris regressa de Paris, chocada com a notícia da acusação feita a Cecília, suspeita de ter matado Marco. Ricardo revela que a mãe já foi ouvida pelo juiz.

Cecília está muito transtornada, pois apesar de não ter ficado presa, ficou com termo de identidade e residência, como principal suspeita da morte de Marco. Álvaro, por seu lado, só quer que o dossier que o incrimina como chefe da rede de doping apareça. Aurora sugere-lhe que ponha mais gente à procura, incluindo Eva mas ele avisa-a de que se não for ela a encontrar o dossier, não a deixará sair da rede.